Foi comemorado, em 2021, os  60 anos de um dos mais tradicionais produtos produzidos no Brasil: a bota Sete Léguas. A marca completou mais de meio século de vida com o reconhecimento da sua inovação e qualidade em equipamentos de proteção individual.

Em 1961, era possível reconhecer em fotos estampadas, em jornais e revistas, as botas Sete Léguas da linha Trator calçando os pés dos operários que ainda finalizavam a construção de Brasília, e dos trabalhadores do agronegócio.

Em 1970, foi lançado o modelo Capataz, em PVC, para atender aos frigoríficos, laticínios, e indústrias alimentícias. As botas de PVC ofereciam maior resistência à corrosão de produtos químicos, sendo muito requisitadas em outros segmentos da indústria. Em meados dessa década, a Sete Léguas lança uma nova linha – Toda Vida – para atender o mercado infanto-juvenil. A novidade eram as cores e um colarinho em tecido, detalhes que inseriram o produto no mundo da moda.

Em 1978, surgiram normas oficiais que tornaram obrigatória a adoção de equipamentos de proteção individual certificados e aprovados pelo Ministério do Trabalho. Sete Léguas obteve a certificação ao atender todas as exigências da nova regulamentação.

Na década de 80, a marca inova em tecnologia com o lançamento do modelo SL Pró, bota bicolor com solado especial mais resistente a produtos químicos e a baixas temperaturas.

Nos anos 90 as linhas começam a ganhar maior especialização e volta-se para segmentos específicos como as botas de borrachas especiais para o combate a incêndios.

Hoje Sete Léguas é uma marca referência em eficiência operacional, contribuindo para o crescimento dos resultados de seus clientes. Possui processos enxutos de produção, que reaproveitam e reciclam resíduos, contribuindo para a preservação do meio-ambiente, além de um relacionamento próximo com seus clientes por meio de programas de disseminação de informações sobre segurança no trabalho. A bota Capataz foi eleita, em 2011, o produto de maior rentabilidade pelos lojistas do setor de construção civil, razão pela qual foi premiada pela revista Revenda e Construção.

Em 2012, a marca inicia uma nova fase com reforço dos investimentos em comunicação, automação industrial e lançamento de novos produtos, em linha com o crescimento do mercado de EPI´s e com o crescimento da economia brasileira.

Em 2018 acontece um novo fato relevante para o mercado de EPI´s, fez a aquisição do controle acionário da Sete Léguas e transferem a indústria para o Sul de Minas Gerais, buscando ficar mais próximo aos mercados consumidores e seus fornecedores.

Após a efetivação da produção no sul de Minas, chamando a atenção de outros investidores, um Fundo de Investimentos fez a aquisição de 80% das ações da Sete Léguas em março de 2022 e iniciam um novo ciclo de investimentos para a retomada do mercado brasileiro e Latino Americano e buscar o seu posto de Marca mais lembrada de Botas Impermeáveis, a TRATOR e CAPATAZ